Suspeito de sequestro em Eunápolis está envolvido em roubo no Paraguai


Suspeito de envolvimento no sequestro de um adolescente de 16 anos em Eunápolis, Paulo César Alves Filgueiras, 49 anos, mais conhecido como Paulo Escopeta, foi preso na tarde de quinta-feira (27), no Paraguai, graças à ação rápida da polícia de Eunápolis. Detido no Paraguai, na cidade de Capitã Bado, sob suspeita de participação no maior assalto já registrado no país, quando foram levados mais de R$ 120 milhões de uma transportadora de valores, Paulo Escopeta só permanecerá preso graças à agilidade da Polícia Civil eunapolitana, que conseguiu um mandado de prisão contra ele expedido pelo titular da 2ª Vara Crime de Eunápolis, juiz Heitor Awi.

A polícia paraguaia não tinha provas suficientes para mantê-lo detido, conforme explicou o diretor do Departamento de Polícia do Interior, delegado Ricardo Brito. De posse do documento, a Polícia Federal Brasileira efetuará o cumprimento da prisão dos acusados. Segundo o delegado Moisés Damasceno, coordenadora da 23ª Coorpin, no sequestro, ocorrido em janeiro, no bairro Santa Isabel, em Eunápolis, o grupo de Paulo Escopeta conseguiu extorquir R$ 250 mil, pagos pela família do adolescente.

O pagamento foi efetuado na cidade de Simões Filho, a 25 quilômetros de Salvador. O refém, que ficou cinco dias sob o poder dos bandidos, foi libertado oito horas após o pagamento na cidade de Riachão do Jacuípe. Ainda segundo o delegado Moisés Damasceno, Paulo Escopeta é considerado um dos maiores líderes criminosos e representante de uma organização de São Paulo com ramificações na Bahia.

Na Bahia, as ações da dupla envolviam além dos assaltos a banco – entre eles o último praticado na agência do Banco do Brasil de Irecê – sequestros mediante extorsão. Também foi preso na mesma ação, Fernando Lumes, que acumula as mesmas acusações de Paulo – além de ser sobrinho e braço direito de Zé de Lessa, o criminoso mais procurado do estado. A dupla, que ainda se encontra no Paraguai, será apresentada em Ponta Porã, no Paraná, e logo será transferida para a Bahia onde irá responder a todos os crimes cometidos no estado.